26 de noviembre, 2020

Oeiras Nomeada Capital Europeia da Cultura Gastronómica

A 9 de outubro, no Palácio do Marquês, em Oeiras, decorreu a cerimónia oficial de assinatura do protocolo de cooperação entre a Câmara Municipal de Oeiras (CMO) e a Comunidade Europeia da Nova Gastronomia (ECNG), que oficializou o município como Capital Europeia da Cultura Gastronómica, em 2020-2021. Estiveram presentes Isaltino Morais – Presidente da CMO – José Bento dos Santos – copresidente fundador da ECNG – Rafael Ansón – copresidente fundador da ECNG e Presidente da Real Academia de Gastronomia de Espanha – Miguel Poiares Maduro e Alberto Laplaine Guimarães e Carlos Fontão de Carvalho da Direção da ECNG.

Oeiras, também candidata a Capital Europeia da Cultura no ano de 2027, aposta assim na promoção do turismo, enquadrando a gastronomia enquanto ativo cultural educativo.

Isaltino Morais afirmou estar “… muito entusiasmado com o acolhimento desta iniciativa, sobretudo porque procura ir mais além do que vulgarmente consideramos gastronomia e toca ao tema da alimentação. Se esta iniciativa puder contribuir para que os produtos portugueses sejam melhor conhecidos, os portugueses possam usufruir da sua qualidade e ainda conseguirmos educar as pessoas do ponto de vista alimentar, então terá valido a pena”. Ainda nas palavras do autarca,  “Oeiras será pioneira, uma vez que, pela primeira vez se vai pensar a gastronomia, não só do ponto de vista dos melhores chefs, mas sobretudo com aquilo que tem a ver com os produtos, com a qualidade, com as boas práticas da alimentação, da nutrição, e de outras vertentes, que, depois será levado às escolas, aos lares de terceira idade e a outros equipamentos coletivos”.

José Bento dos Santos declarou-se “extremamente feliz” com esta parceria, sublinhando a importância da “educação do gosto” e de como esta deve ser transmitida de forma clara e educativa às novas gerações. Acrescentou ainda: “A gastronomia começa na alimentação e não podemos evoluir como sociedade enquanto subsistir a fome no mundo. Os governos estão hoje mais atentos a este fenómeno, ou não valesse este setor 20% do PIB e tivesse um impacto enorme na saúde, com custos que são, como sabemos, um problema gigantesco”.

O Parlamento Europeu recomendou aos Estados membros a criação do “Observatório Europeu de Gastronomia”, com o objetivo de identificar, inventariar, transmitir e difundir os hábitos alimentares e a riqueza cultural da gastronomia europeia. Miguel Poiares Maduro refere que o Observatório vai servir para “falar de gastronomia de uma forma como nunca se falou”, relembrando o “impacto doloroso que a Covid tem nas pessoas, sobretudo no mundo da restauração”, reforçando a necessidade de começar a pensar num futuro sustentável, alterando comportamentos menos positivos

Oeiras, Capital Europeia da Cultura Gastronómica, promoverá ações e eventos que a consolidem como centro gastronómico permanente a nível internacional, no âmbito da estratégia de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030 e da Agenda Europeia “From Farm to Fork”.